Avaliação de Bens do Imobilizado

A Femenick & Associados Auditores e Consultores, em conjunto com uma equipe de engenheiros especializados, desenvolveu estudos de longo alcance sobre a Avaliação de Bens do Imobilizado de empresas, envolvendo aspectos legais, fiscais, contábeis e técnicos exigidos pelo processo de bens.

A avaliação de bens do Imobilizado traz uma série de vantagens para a empresa, destacando-se entre elas: maior facilidade para a obtenção de créditos bancários destinados ao financiamento do capital de giro, aquisição de maquinas, veículos, equipamentos, prédios etc. Um outro ganho direto é a valorização da sociedade no mercado de capitais, pelo aumento do valor de suas ações ou quotas. Além do mais, a diretoria da empresa passa a contar com meios para fazer um melhor controle de sua ação gerencial. Isso tudo sem que haja qualquer incidência de impostos.

0000000000000 Sem Título-3

A seguir algumas explicações do mecanismo de Avaliação de Bens do Imobilizado:

● Aumento do Capital Social da Empresa, com a incorporação do acréscimo do valor dos imóveis. O aumento do valor dos imóveis pode ser incorporado ao Capital Social da empresa sem que haja incidência no Imposto de Renda.

● Aumento do Patrimônio Líquido com a Reserva de Reavaliação dos bens móveis. O valor dos outros itens do Ativo Permanente não sofrerá incidência de Imposto de Renda enquanto permanecer na conta Reserva de Avaliação.

● Aumento dos Recursos Próprios em relação aos recursos de terceiros. Esse fato proporciona à empresa condições de captar um maior volume de recursos junto aos bancos e outras instituições financeiras.

● Redução do montante do Imposto de Renda a pagar com a constituição da depreciação sobre o aumento do valor dos bens do Ativo Imobilizado. A legislação permite deduzir do lucro tributável, como despesa operacional, os valores referentes à depreciação do aumento do valor dos bens do Ativo Imobilizado desde que a empresa reconheça a Reavaliação. Esse reconhecimento é opcional.

● A empresa não é obrigada a compensar eventuais prejuízos com o Ajustes de Avaliação Patrimonial. A avaliação do imobilizado não exige nenhuma compensação fiscal de eventuais prejuízos. Somente os lucros de exercícios futuros serão compensados com os prejuízos anteriores, fato que não altera os benefícios tributários gerados por esses prejuízos.

● Maior transparência no Balanço Patrimonial da empresa. Os valores registrados no Ativo Imobilizado e no Patrimônio Líquido passam a ser iguais aos respectivos valores de mercado.

● Os índices apurados pelos relatórios gerenciais da empresa serão mais confiáveis. Dessa forma a direção poderá fazer um controle real da rentabilidade das operações da empresa.

● Os custos de produção serão mais corretos. Ao considerar o valor real para depreciação dos Ativos (máquinas, equipamentos, prédios etc.), a empresa poderá projetar com mais realidade os preços de venda dos seus produtos.

● Os sócios poderão receber mais juros sobre o Capital. Quanto maior o Patrimônio Líquido, maior os juros a que os sócios têm direito e, consequentemente, maior a redução do imposto a pagar. A Lei 9.249, de 26/12/1995, faculta às empresas deduzirem do Imposto de Renda os juros pagos aos sócios, a título de remuneração do Capital Próprio.